Desde 1960 fazendo história

O mundo se voltou para a pandemia do Covid-19 que pôs em xeque diversos setores da sociedade e impôs novos paradigmas ao indivíduo, governos e empresas. Nunca foi tão importante manter o espírito humano de resiliência e superação. A nova forma de viver chegou categórica e exigiu mudanças e adaptações. Para as empresas os desafios foram enormes – driblar a queda nas vendas, lidar com a incerteza do mercado, cuidar da saúde e integridade dos funcionários e manter empregos. 

No ano em que completa 60 anos da sua fundação, a Mecalor agiu rápido mais uma vez. No início da pandemia a empresa reorganizou a produção e colocou quase metade do quadro de funcionários em trabalho home office. Embora afetada pela queda da demanda, manteve a produtividade,os atendimentos em campo e os empregos.

Essa característica de superação está no DNA da companhia. Ela nasceu com o fundador,o engenheiro húngaro Sándor Szegö, que deixou o seu país em 1956 para escapar de um regime opressor e veio morar no Brasil em busca de um futuro melhor. Em 1960, ele abriu a pequena loja no centro de São Paulo para consertos de eletrodomésticos. A partir de pedidos dos clientes, que sentiam falta de novos produtos no mercado, inicioua fabricação de equipamentos de refrigeração. 

Liderança de mercado

Desde então a empresa não parou de crescer e em pouco tempo consolidou a marca como sinônimo de qualidade e tecnologia.Há 30 anos, o engenheiro e executivo János Szegö, filho do fundador, atua como CEO. Foi na sua gestão que a empresa conquistou a liderança de mercado, desenvolvendo equipamentos periféricos e soluções de engenharia térmica para diversos setores da indústria. Hoje são cerca de 20 mil tipos chillers instalados no Brasil e no exterior, com uma produção mensal de 150 equipamentos, mais da metade sob demanda.A Mecalor produz para os segmentos hospitalar, plástico, alimentício, farmacêutico, datacenter, ar condicionados industriais e automobilístico.

As crises na economia não impediram um desempenho acima da média do mercado. Entre 2004 a 2014, a empresa registrou um crescimento de 20%. De 2014 a 2016, ela apresentou um incremento de 5%, quando todo o mercado caiu 30%.

Um bem sucedido projeto de exportação, iniciado há dez anos como alternativa à retração da demanda interna, tornou-a um importante exportador de chillers para as Américas Latina e Central. Esse sucesso resultou na abertura de uma filial no México em 2019, com o objetivo de atender melhor o mercado local e de olho nas vendas para os Estados Unidos. 

A pandemia do coronavirus diminuiu o ritmo, mas não interrompeu o sonho de crescimento. Ainda neste ano, a Mecalor vai colocar em prática mais uma etapa do seu projeto de expansão, com a construção de um prédio novo, ampliação da fábrica e aumento na produção de chillers.

Leia agora:
Revista Plástico Sul realiza cerimônia híbrida para reconhecer empresas vencedoras do 1º Prêmio Plástico Sul de Inovação e Sustentabilidade
Termotécnica é destaque no Prêmio Plástico Sul de Inovação & Sustentabilidade com 5 projetos finalistas e 2 primeiros lugares
Tecniplas amplia em 50% vida útil de equipamento usado em fábrica de papel
Braskem bate recorde histórico de vendas de resinas no Brasil no 3T20
TOMRA Insight, a poderosa plataforma de gestão de dados para aumentar as eficiências de seleção, agora oferece aos recicladores mais novidades e funcionalidades
Déficit em produtos químicos deverá ser de US$ 29,3 bilhões, em 2020, com recorde de mais de 50 milhões de toneladas importadas