Mitsubishi Electric espera aumentar resultados no setor automotivo com aprovação do Rota 2030

Projeto traz incentivos fiscais para montadoras que investirem em inovação nos próximos anos


A Mitsubishi Electric, uma das principais companhias em automação industrial no mundo, acredita que a aprovação do Rota 2030 deve trazer mais luz à importância das novas tecnologias para o ambiente industrial. O projeto, aprovado em novembro, permitirá abater de 10% a 12% do imposto de renda devido ou na contribuição social sobre o lucro líquido do valor investido pelas montadoras em inovação.

A companhia acredita que os novos investimentos terão um forte viés de tecnologia e devem trazer uma grande oportunidade de crescimento nos próximos anos. Com 105% da meta de faturamento atingida em 2017, a empresa espera ter resultados ainda melhores nos próximos anos, com contribuição significativa de vendas do setor automotivo. “Estamos bastante otimistas com o mercado brasileiro e queremos continuar fornecendo serviços de qualidade no País, além de aumentar a gama de produtos com o padrão de excelência que a Mitsubishi Electric impõe no Brasil”, destaca Denis Carvalho, gerente geral da unidade de CNC da companhia.

Os principais produtos que devem puxar esse crescimento são os CNCs (comandos numéricos computadorizados) da linha M8 (M80 / M800), que geram benefícios importantes como a alta produtividade, confiabilidade, interatividade e conectividade (soluções para a Indústria 4.0), itens fundamentais para assegurar a produtividade dentro do setor.

Instalados em diversos Centros de Torneamento e Usinagem em todo o país, os CNCs trazem resultados por um longo período de tempo, além de economizarem energia com o Eco Monitor Light, ligado ao disjuntor principal da máquina. Com isso, a energia elétrica na máquina pode ser gerenciada com precisão, o que possibilita uma operação de economia de energia.

“Ao reunir todas essas características, os produtos proporcionam melhor acabamento superficial de peças, compatibilidade com diversas redes de automação industrial, interface MES, conexão remota com os PCs usando Virtual Network Computing, conexão com MT Connect Data Collector, entre outros recursos de IoT. Esse conjunto permite às empresas atingir mais produtividade, contribuindo para um dia a dia mais eficiente”, finaliza Carvalho.

Sobre a Mitsubishi Electric Corporation

Com quase 100 anos de existência, a Mitsubishi Electric Corporation é reconhecida como líder mundial na fabricação, comercialização e vendas de equipamentos elétricos e eletrônicos utilizados em Sistemas elétricos e de energia, Automação industrial, Sistemas de informação e comunicação, Dispositivos eletrônicos, Sistemas de transporte e Aparelhos domésticos. Com o princípio corporativo de contribuir com a criação de uma sociedade próspera, a companhia está presente em mais de 40 países ao redor do mundo, totalizando mais de 140 mil colaboradores. A empresa registrou vendas consolidadas do grupo de 4.431,1 bilhões de ienes (US$ 41,8 bilhões *) no ano fiscal encerrado em 31 de março de 2018. Para obter mais informações, visite: www.MitsubishiElectric.com

* Com uma taxa de câmbio de 106 ienes para o dólar americano, a taxa dada pelo Mercado de Câmbio de Tóquio em 31 de março de 2018

Sobre a Mitsubishi Electric do Brasil

No país desde 1975, a Mitsubishi Electric do Brasil reflete os valores globais da companhia, atuando nas áreas de: Automação Industrial e CNC, Sistemas de Ar Condicionado, Automação de Processos, Equipamentos Automotivos, Sistemas de Visualização e Sistemas de Transporte.

Leia agora:
PICPlast realiza workshop sobre compliance e competitividade
Eastman e Solac apresentam o primeiro liquidificador duplo feito com o copoliéster Tritan™ da Eastman
Nova estratégia da BASF visa crescimento rentável e neutro em termos de emissão de CO2
Plástico Brasil 2019 abre credenciamento para visitantes profissionais

Veja também:
Programa 8S da Embaquim é elogiado pelos clientes
Mais de 100kgs de tampinhas recolhidos na Feira do Livro
Termotécnica recebe dois reconhecimentos no Guia Exame de Sustentabilidade 2018