quinta-feira, 19 de março de 2020

Plástico: grande aliado na luta contra a pandemia


Já é de conhecimento de todos a pandemia que assola o mundo denominada Coronavírus (Covid19). Com poucas informações sobre o inimigo, a melhor prevenção comprovadamente é o isolamento ou distanciamento social. Sair às ruas somente quando necessário, com etiquetas de higienização e sempre com álcool gel no bolso.

O Brasil infelizmente não ficou imune ao vírus. O número de casos aumentam a cada dia e jornais e sites estão constantemente atualizando informações e sugerindo precauções. Que semanas nos esperam!

A economia está “contaminada” também e o ministro da pasta, Paulo Guedes, anunciou recentemente fortes medidas para lidar com a crise pandêmica e sair dela ainda em curva de crescimento, como estava o país até termos esse colapso viral. Guedes, além de anunciar uma injeção de R$147 bilhões na economia, também garantiu que o governo reduzirá a zero as alíquotas de importação para produtos de uso médico-hospitalar até o fim do ano,  e irá desonerar temporariamente o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para bens importados e bens produzidos internamente usados no combate ao Covid-19.

Grande parte dos materiais utilizados para contenção de doenças facilmente transmissíveis são de plásticos. Há uma alta na demanda por produtos de PVC, principalmente aqueles vinculados à produção de sistemas de soro e de respiração (tubos, canaletas, bolsas, etc.). Produtores brasileiros estimam aumentar a capacidade de produção e abrir turnos extras para atender a demanda, com foco no atendimento do mercado hospitalar doméstico.

José Ricardo Roriz Coelho, presidente da Assoção Brasileira da Indústria de Plásticos (Abiplast), explica que, em caso de surtos e epidemias, há aumento de demanda não apenas por produtos de proteção. “Veremos impactos também no aumento do consumo de descartáveis, em clara contradição a toda essa movimentação de banimentos e proibições”, observa.

Em casos de problemas de saúde pública, os descartáveis são soluções importantes para evitar contaminação. A própria ANVISA recomenda não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas. “É por isso que, em lugar de banimentos e proibições, é preciso que as legislações caminhem no sentido da correta destinação e reciclagem desses produtos.”

Que dessa fase complicada nos fique uma lição importante: plástico salva vidas! Se utilizado corretamente e com consciência de descarte, o material é grande aliado não apenas do mundo moderno, como linha branca, indústria automobilística, construção civil e etc. É no descartável que encontramos o melhor amigo na redução de uma propagação viral e bacteriana. É no canudo, é no copo e é no prato plástico. É no que podemos utilizar e descartar (com consciência). Sabendo usar, não existe lixo.

Retorne à lista de matérias do Plástico Sul News # 136